Você conhece algum líder com a Síndrome do Leão?

Você já viu um líder novo chegando no pedaço e ficando na posição de crítico? Além de destruir tudo o que estava sendo feito? Existe um impulso primitivo biológico que pode fazer com que os líderes atuem com egoísmo e vaidade, deixando de dar continuidade ao que é bom e impondo um desgaste desnecessário às empresas e governos. Ficou curioso?

O comportamento humano é carregado de traços primitivos presentes em todos os animais, mesmo que hoje tenhamos alcançado níveis mais altos de conhecimento e consciência, ainda assim, muitos  líderes agem de forma primitiva e destrutiva. Principalmente quando são acometidos pela Síndrome do Leão

Hoje, sabemos que a colaboração é uma necessidade básica para a sobrevivência da humanidade nos próximos séculos, diferente da competição que é tão comum no reino animal. Isso acontece porque nós evoluímos, alcançamos novos estágios e as soluções para a manutenção da nossa vida são mais elaboradas.

Mas será mesmo? 

Na natureza, um leão forasteiro que desafia o macho alfa de um bando e sai vitorioso precisa eliminar os filhotes do leão perdedor para se impor e reforçar sua posição como novo macho alfa entre as leoas.

Um resquício desse comportamento primitivo são os líderes com a Síndrome do Leão.

Eles são dominantes, querem passar adiante suas ideias, seus projetos, resultados e qualquer coisa que passe a ideia de legado. É um chamado do ego para manter viva a sua lembrança, sua imagem, sua obra. Existem muitos nomes bonitos para isso… mas no fundo, tudo não passa de vaidade. 

No meio corporativo, isso acontece de muitas formas. Vencer o leão alfa e assumir o novo bando no mundo dos homo sapiens equivale a:

  • Ser chefe numa empresa nova.
  • Conseguir uma promoção para liderar um time.
  • Assumir um novo departamento.
  • Ser eleito em algum cargo executivo do governo.
  • Alcançar um cargo de poder em qualquer área da sociedade.
  • Conquistar um novo par romântico na vida. 

Se você passou por isso, parabéns, você é o novo líder do bando!

Agora, vamos ver os comportamentos equivalentes ao do “leão matar os filhotes do leão que foi deposto”, atualizados ao mundo moderno:

  1. Desqualificar, criticar e destruir coisas que tenham sido feitas por líderes anteriores. Qualquer boa ideia, projeto ou legado deixado pelo outro, sempre será uma sombra para o novo líder. Vaidoso que é, ele quer sua imagem e seu modelo como o predominante. 
  2. Quebrar a cadeia de comando deixada por outros líderes, fazer demissões e colocar pessoas da sua confiança. Essa é uma forma rápida e direta de mostrar quem manda. Para que as pessoas se alinhem mais rapidamente ao novo líder que chega. 
  3. Reescrever processos e mudar a forma de se fazer as coisas, mesmo que elas estejam funcionando bem. 
  4. Descontinuar ou parar projetos que estavam sendo conduzidos, especialmente aqueles que tenham nomes ou que tragam algo na sua essência que esteja relacionado ao modelo mental do líder anterior. Nos governos de estados e países isso é absolutamente comum. Para os partidos é mais importante destruir o modelo anterior do que construir algo de bom para a população. Entra governo e sai governo e nós assistimos a Síndrome do Leão se perpetuar. 

O maior problema disso tudo é o legado perdido. As conquistas são perdidas. Ao invés de partir do ponto de onde o outro parou (que é muito mais produtivo e racional), tudo é jogado ao chão, perde-se uma energia imensa para desqualificar o passado, cria-se insegurança para as pessoas, custos, desgastes. Infelizmente, só algum tempo depois as coisas voltarem a andar. E quanto maior a estrutura (como é o caso do governo), mais tempo se perde com isso. 

Conceito HD

Você pode pensar de forma mais ampliada e compreender que a raça humana evoluiu e não dá mais para conviver com comportamentos destemperados, passionais e egoístas. 

Os líderes mais primitivos são movidos por instintos, os líderes mais evoluídos são movidos pelo amor.

Se você não quer ser dragado pelas circunstâncias e se ver obrigado a agir como um leão, ou cair nas garras de um outro, então tenha a coragem de viver com autenticidade, com liberdade e com bondade no coração!

O leão quer usar a força para perpetuar. Mas os filhos superam os pais, você pode ser melhor do que isso! 

Quer mais insights sobre esse assunto? Ouça o episódio “Síndrome do Leão” do podcast Líder HD:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

MICHAEL OLIVEIRA

Michael é Líder e Fundador do Instituto Brasileiro de Liderança. Atua em posições estratégicas há 20 anos, é especialista em gestão de negócios e já liderou equipes e empresas nas principais capitais do Brasil, ocupando cargos de gerência até CEO.

Leia também