Felicidade no trabalho: 6 dicas de como liderar pessoas difíceis

como liderar pessoas difíceis

Eu costumo dizer que a felicidade não pode ser o final, ela é o caminho, precisa ser sua companheira de jornada. Portanto, estar feliz no trabalho é um dos combustíveis para bons resultados na vida pessoal e profissional. Neste texto, eu te convido a refletir sobre este sentimento e como você pode estimular isso no seu time, principalmente, liderando pessoas difíceis.

Uma pesquisa feita pela Harvard Business Review, em parceria com a The Energy project, com cerca de 12 mil executivos de diversas empresas, indica que geralmente quem percebe finalidade em suas atividades, sente 1,7 vezes mais prazer em trabalhar e se vê 1,4 vezes mais comprometido.

Com isso, a chance de permanecer no emprego atual se torna 3 vezes maior. Pois, de acordo com estudos levantados pelo professor Shawn Achor, 9 entre 10 pessoas trocariam uma porcentagem de seus salários por um trabalho que lhe desse mais alegria e satisfação.

Você é feliz no trabalho?

É importante encontrar felicidade no que você faz. Afinal, isso faz parte da sua vida. Reflita se o seu propósito, seus valores, seus objetivos estão alinhados com a empresa que você trabalha. Pense sobre isso no curto e longo prazo, pois assim você pode planejar sua carreira sendo guiado pela felicidade.

Refletiu? Agora foque no seu time, você já parou pra pensar se as pessoas que trabalham com você estão conectadas com a empresa? Elas se sentem bem? Estão felizes? 

Quando pensamos em conquistar resultados e montar uma equipe de alta performance, isso também precisa ser levado em consideração. No fim do dia, o que move uma pessoa dão seus valores, emoções, sonhos e o seu propósito de vida. 

Para você atingir o máximo potencial da sua equipe, é preciso encontrar formas de empoderar as pessoas e compartilhar a criação, estabelecendo regras básicas de convivência e fortalecendo a comunidade.

Se você quer engajar as pessoas, escolha os valores que falam com o coração. Valores internos são os mais poderosos. E a motivação está diretamente relacionada com o perfil de quem lidera. 

O que você tem dentro de você vai ser espelhado na equipe. Faça tudo que puder para manter o moral da sua equipe no alto. Quando você achar que não tem mais nada o que fazer, dê esperança. Porque as pessoas sem esperança, se apagam.

Mas você pode estar se perguntando:

existem pessoas difíceis, como liderá-las?

Eu entendo que essa é uma missão desafiadora e é preciso encará-la de frente, com muita energia. Afinal, existem pessoas que realmente são mais complicadas. Cada ser está em uma fase, passou por situações que não sabemos, vivem em contextos diferentes e isso tudo reflete na personalidade. 

Lidar com pessoas difíceis é uma missão que vai aparecer na sua vida em algum momento, se é que já não apareceu. Veja se você conhece alguém com algum desses comportamentos crônicos:  agressivos ou muito sensíveis, impacientes, irritadiços, não conseguem ser maleáveis, acreditam e defendem uma verdade interna que não pode mudar e possuem dificuldade de adaptação…Pessoas assim costumam ser temperamentais, geniosas, teimosas, reativas, fechadas demais ou abertas demais. Mas a pior delas é a que está TOTALMENTE DESCONECTADA.

Você já observou que algumas pessoas são simplesmente desinteressadas? Ela não é difícil. Ela só não está conectada com o time, com a empresa, com o segmento, com o propósito. Para ela, tanto faz. Normalmente, são pessoas que estão trabalhando para ter uma renda, por falta de opção, por necessidade, por não acreditarem na missão da empresa ou por não terem clareza dela. 

[Perguntas perturbadoras: você já comunicou ao seu time qual é o seu propósito, qual é a essência da empresa? Você reforça isso todos os dias?]

Uma pessoa desinteressada não soma. É importante descobrir a razão disso para que o time seja feito por colaboradores engajados e envolvidos. Da mesma forma, é indispensável observar se a causa do desinteresse não é você como líder, as condutas da empresa, a forma de tratar os colaboradores e a convivência no trabalho.

É claro que pode acontecer das habilidades e aptidões dessa pessoa não se encaixarem com o trabalho. Novamente, o papel do líder é ter sabedoria para dialogar e compreender qual o melhor caminho para guiá-la. Você pode entender que o melhor a se fazer é oferecer treinamentos e capacitação para que ela se desenvolva ou pode chegar à conclusão que o lugar dela não é ali. 

Para as duas situações, eu deixo aqui algumas dicas valiosas

6 práticas HD para liderar pessoas difíceis

  1. Tenha um nível de consciência acima. O líder é quem deve compreender.
  2. Procure entender. Exercite a compassividade. 
  3. Faça uma análise de todos as forças que essa pessoa tem. Uma equipe de alto desempenho é feita de pessoas brilhantes e saiba que os gênios não costumam ser fáceis. 
  4. Estabeleça com a pessoa e o grupo os valores que vão nortear as relações. 
  5. Assista ao vídeo Como liderar pessoas difíceis
  6. Aprenda também Como dar feedbacks para pessoas difíceis 

DICA BÔNUS: Participe da aula AO VIVO que eu vou te dar nesta sexta sobre Como liderar pessoas difíceis! Será às 20h e você pode assistir através deste link.

Lembrando que este evento tem certificado e, para gerar o seu, é preciso estar inscrito e ter assistido às outras aulas. Portanto, faça sua inscrição aqui e veja os outros conteúdos. 

Para fechar, deixo um conceito HD do filme Poder Além da Vida. Este é pra você refletir muito quando estiver diante de pessoas realmente difíceis, complicadas, aquelas que realmente te deixam maluco: As pessoas mais difíceis de serem amadas, normalmente são as que mais precisam de amor.

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

MICHAEL OLIVEIRA

Michael é Líder e Fundador do Instituto Brasileiro de Liderança. Atua em posições estratégicas há 20 anos, é especialista em gestão de negócios e já liderou equipes e empresas nas principais capitais do Brasil, ocupando cargos de gerência até CEO.

Leia também